4 de Novembro de 2009

Nada Entre Nós Tem o Nome da Pressa


Sinopse


espera (é) s. f. 1. Acto  de esperar.2. Ponto onde se espera.3. Emboscada.
As mulheres na beira da praia aguardam o regresso dos homens da faina ou os olhos constantemente pousados nos ponteiros do relógio quando algo está para acontecer ou um chão já abaulado com os passos do esperador.
Ela enquanto ser esperante. Ela especializada na arte de aguardar, na esperança vã de um regresso que sabe, à partida, impossível.
Se a um tempo a espera é inútil, a outro é o que a separa do estado não-vivo, isto se pensarmos na vida como algo para além do trabalho constante do músculo e do cérebro.
Se a vida só é possível à luz daquele amor, a única forma de auto-preservação é esperá-lo. Sabendo que no momento em que a espera tenha um fim, em que a esperança desespere, o desligar do corpo é o único caminho.


Ficha Técnica
a partir da obra de Maria do Rosário Pedreira
Direcção António Revez
Performer Ana Ademar
Músico João Paulo Courinha (Saxofone)
Produção Rafael Costa
Grafismo Cocas Produções
Lendias d'Encantar, 2009

13 de Outubro de 2009

Ciclo Um Actor - Um Músico_Lugar Ausente

 
Sinopse

Todos temos um passado marcado pelas memórias que dele guardamos. Até que ponto nos marcam? Até que ponto deixamos que essas memórias interfiram com o presente e como lidamos com elas? Como vivenciamos a nossa experiência passada?
Em Lugar Ausente estamos an presença de um homem que não conseguiu descolar a pele viscosa do passado que se agarra à sua vida presente e não o deixa seguir em frente. Assistimos à ruína de quem tenta continuar preso ao que já não é possivel voltar.
Assistimos ao desconcerto da memória, à humanização dos objectos que materializam o passado e lhe dão vida.
É um eterno retorno ao que fomos, ao que desejámos e perdemos para sempre. Pode o passado de um homem impedir o seu presente?
Lugar ausente é aquele que, já não estando, nunca deixou de estar e assim impõe a sua presença fantasmagórica através da memória.

Ficha Técnica
a partir da obra de Herberto Hélder
Direcção António Revez
Performer Luís Proença
Músico Paulo Ribeiro (guitarra)
Desenho de Luz e Operação Ivan Castro
Grafismo Coca Produções
Produção Rafael Costa
espectáculo em cena dias 15, 16 e 17 de Outubro na Casa da Cultura, Beja
 
Uma Produção Lendias d'Encantar, 2009

6 de Outubro de 2009

Ciclo Um Actor-Um Músico_Nocturno



 Sinopse

Gritos de revolta e de angústia de uma mulher durante a noite.
A narrativa desenrola-se em vários piques emocionais: susto e desespero de estar acordada, o medo da escuridão e tudo o que está por de trás do obscuro e fantasia, que os seu subsconsciente/imaginário cria. tenta refugiar-se em momentos e memórias de delírio e puro êxtase.

O Ciclo Um Actor-Um Músico é um desafio que a Lendias se propôr no início deste ano. Consiste em apresentar regularmente performances que juntam um actor, um músico, um luminotécnico e a obra de um poeta português.
 Numa primeira fase destruímos os versos, a sequência e o ritmo dos poemas. Procurámos criar um texto novo, mais narrativom, mas sem acrescentar uma única silaba às palavras do poeta. Este ciclo que se iniciou com Pele de Cristal, tem como premissa a cumplicidade artística entre um actor e um músico: procuramos o improviso nas emoções das palavras. Como desafio que é, permitimos apenas que os intervenientes se enocntrem no ensaio geral e no dia do espectáculo, como o calor e o frio da adrenalina, desenhador de luz, actriz e músico bebam do mesmo néctar e respirem em tempos ausentes.

Ficha Técnica

a partir da obra de José Régio
Direcção António Revez
Performer Marisela Terra
Músico Jorge Moniz (percussão)
Desenho de Luz e Operação Ivan Castro
Produção Rafael Costa
 Outras Performances do Ciclo Um Actor-Um Músico

 



Uma Produção Lendias d'Encantar, 2009

Pele Interior



Sinopse

Carol e Michael não se conhecem. Mas encontram-se.
Carol e Michael são estranhos. Por si sós e para o outro.
Os planos de um não encaixam nos do outro. Mas ninguém abre o jogo. Ninguém é sincero. Ninguém fraqueja. É proibido.
O que não se pode prever ou evitar é o momento em que as máscaras caem.
E quando já não nos reconhecemos sem elas? Quando o que vive debaixo da máscara é já um estranho?
Como voltamos a vermo-nos e a sentirmo-nos bem com a nossa própria pele?

Ficha Técnica

Texto Lloyd Price
Encenação António Revez
Assistente de Encenação Ana Ademar
Interpretação Luís Proença e Marisela Terra
Recolha Musical Paulo Ribeiro
Desenho de Luz Luís Beco


 

1 de Outubro de 2009

Ciclo Um Actor-Um Músico - Tudo Menos o Silêncio



Sinopse

O Ciclo Um Actor-Um Músico é um desafio a que a Lendias d'Encantar se propôs.
O projecto é desenvolvido em várias fases: primeiro a escolha do autor/poeta. A partir desse momento, o actor tem liberdade total para destruir os poemas. Ou seja, partindo dos poemas, recolhe palavras e/ou versos para construir uma nova história, masi narrativa. A única regra é a de não acrescentar ou alterar qualquer palavra do poeta. Trata-se apenas de manipulação de texto, pretende-se a criação de um novo.
Quando o texto está concluído é transmitido ao músico e ao desenhador de luz. Entretanto, o encenador tranalha com o actor de forma a criar o universo próprio do texto.
Os três intérpretes apenas se encontram na véspera da estreia. É nesse ensaio único que têm de absorver o que foi criado pelo outro. Pensá-lo, aproveitá-lo de forma a enriquecer a performance.
O grande desafio deste Ciclo é exactamente o poder de encaixe, de improviso de cada um dos intérpretes. Aproveitar o que o outro oferece à performance e completá-lo. Ali no momento.
Tudo Menos o Silêncio foi construído a partir de poemas esparsos de Eugénio de Andrade, com direcção de António Revez, música de Carlos Barretto (contrabaixo) e luz de Luís Beco. Inicialmente seria a actriz Ana Ademar a dizer o texto, mas devido a uma ruptura de ligamentos de última hora, as Lendias foram obrigadas a fazer uso da sua dinâmica e substituir a actriz pelo encenador e actor António Revez.
Carlos Barretto é um dos mais importantes músicos e compositores de Jazz em Portuugal, já fez concertos na companhia de músicos da sua geração, como Mário Laginha, Carlos Martins e Mário Barreiros, nomes importantes do Jazz em Portugal.


Ficha Técnica 


a partir da obra de Eugénio de Andrade
Direcção e Cenários António Revez
Interpretação António Revez e Carlos Barretto
Desenho e Operação de Luz Luís Beco e Miguel Conceição



Uma produção Lendias d'Encantar, 2009

ver mais aqui


Ciclo Um Actor - Um Músico


Sinopse

Cristal da Pele é a primeira performance poética do Ciclo Um Actor - Um Músico que a Lendias d'Encantar vai apresentar ao longo do ano de 2009. Este primeiro desafio teve como ponto de partida o livro de poesia de José Manuel Carreira Marques, Cristal da Pele.
Numa primeira fase destruímos os versos, a sequência e o ritmo dos poemas. Procurámos criar um texto novo mais narrativo, mas sem acrescentar uma única sílaba às palavras do poeta.
Este ciclo, que se inicia com Cristal da Pele, tem como premissa a cumplicidade artística entre um actor e um músico: procuramos o improviso nas emoçõe das palavras. Como desafio, que é, permitimos apenas que os intervenientes se encontrem no ensaio geral e que no dia do espectáculo, com o calor e o frio da adrenalina, desenhador de luz (Ivan Castro), actriz (Tanya Ruivo) e o músico (César Filipe) bebam do mesmo néctar e respirem em tempos ausentes.
Ficha Técnica

A partir da obra homónima de José Manuel Carreira Marques
Selecção e Destruição de Poemas António Revez e Tanya Ruivo
Direcção António Revez
Interpretação Voz Tanya Ruivo
Interpretação Piano César Filipe
Desenho de Luz Ivan Castro
Grafismo Rui Pereira

Uma Produção Lendias d'Encantar, 2009

As Criadas






Sinopse
Duas criadas, uma senhora.
Duas senhoras, uma criada.
Uma senhora que é criada, uma criada que é senhora ou serão duas?
Uma senhora prestes a ser assassinada pelas criadas mascaradas de senhora. Um inocente preso, para que o assassinato decorra sem sobressaltos.
Duas criadas oprimidas, pobres, invejosas. Querem os vestidos, querem a riqueza, querem o leiteiro.
O plano está traçado há muito. A coragem é pouca. A vontade é alimentada pelo desespero que é muito. Duas aspirantes a senhora. Uma senhor que não sabe... não saberá? Tudo é segredo. Tudo é confuso. Tudo é para desvendar. Entre o "silencioso arroto do lava loiça" e a senhora e "a sua estola, as suas pérolas, as suas lágrimas, os seus suspiros, a sua doçura" há máscaras, mentiras, embustes, segredos e angústias.
Ficha Técnica

A partir da obra de Jean Genet "As Criadas"
Encenação António Revez
Interpretação Ana Ademar, Ricardo Brito e Tanya Ruivo
Recolha Musical Paulo Ribeiro
Desenho de Luz Ivan Castro
Grafismo Cocas Produções








Uma Produção Lendias d'Encantar, 2008
 

30 de Setembro de 2009

Nunca Estive em Bagdad


 
Sinopse 

Nunca Estive em Bagdad é uma história de amor durante a guerra, perto e longe, muito longe de Bagdad.
Glória e Rogério mudaram uma vez mais de casa e estão na situação de ter de arrumar de novo as suas coisas. Vivem a rotina dos dias e o amor é como é. O mundo vive a guerra no Iraque e Rogério é um viciado da informação televisiva, e não conegue despegar do monitor, enquanto Glória vive um dramaintimo, quase intraduzível: uma doença obriga-a a uma delicada operação e a sujeitar-se a um difícil tratamento. Vai sobreviver e será exemplo de optimismo. E o amor? Sobreviverá também? Irá Rogério a tempo de compreender?
No final da guerra, eles têm a casa arrumada. E a vida?
Abel Neves

Ficha Técnica

Texto Abel Neves
Encenação António Revez
Assistência de Encenação Sandra Maya
Interpretação Ana Ademar e Luís Proença
Música Paulo Ribeiro
Desenho de Luz Ivan Castro
Grafismo Cocas Produções


















 
 

Uma Produção Lendias d'Encantar, 2008


Grávida Abandonada Procura Namorado

 

 

 Sinopse

Etelvina encontra-se com barriga proeminente de grávida e... abandonada. Sentindo-se mal e fragilizada com a sua condição, aceita o desfio de uma amiga e comparece a encontros marcados com homens via Internet com o objectivo de encentar um relacionamento sentimental. Etelvina tenta ajustar o seu visual, personalidade e comportamento ao perfil dos pretendentes, ao mesmo tempo que procura, em cada encontro, ocultar a sua gravidez. Acontece que os potenciais namorados com que se encontra, sempre à mesma mesa do mesmo café, se revelam bem mais surpreendentes e imprevisíveis do que ela poderia imaginar... E o resultado frustra sempre as expectativas de Etelvina, até que ela resolve, num derradeiro encontro, despir-se de todas as máscaras, encenações e fingimentos e ser ela prórpia: grávida, abandonada, desiludida e meio desesperada... Será que tais verdades podem conduzir a um final feliz?
Grávida Abandonada Procura Namorado é uma comédia de costumes que evoca o imaginário inquietante e delirante dos encontros amorososa combinados online, ao mesmo tempo que envolve de forma divertida os eternos temas da verdade e das máscaras, do ser e do parecer.

Ficha Técnica

Texto António Manuel Revez
Encenação António Revez
Assistência de Encenação Ana Ademar
Interpretação Ana Ademar e António Revez
Figurinos e Adereços Ana Ademar e Sandra Maya
Recolha Musical Paulo Ribeiro
Desenho de Luz Ivan Castro




 
 
 

Uma Produção Lendias d'Encantar, 2008

Macaco do Rabo Cortado



Sinopse 

"Do meu rabo fiz navalha, da navalha fiz farinha, da farinha fiz menina e da menina fiz viola..."
Esta lengalenga faz parte do universo de crianças e crescidos - crianças noutros tempos.
Esta é a estória de um Macaco que, para ser igual a toda a gente, decidiu cortar o seu bonito rabo e envolver-se numa enorme teia de trocas e baldrocas.
António Torrado celebrizou este conto popular, as Lendias d'Encantar dramatizaram-no e apresentam-no nas salas de aula e teatros.
Durante o espectáculo existe uma interactividade grande com o público, o que fomenta uma grande empatia com as personagens da estória, tornando-a bastante atractiva.
Os figurinos, adereços e a música original são ingredientes que tornam esta produção muito apelativa junto dos meninos do 1º ciclo e lança pistas de trabalho interessantes para professores e educadores.

Ficha Técnica

Texto a partir do conto popular
Encenação António Revez
Interpretação Ana Ademar, António Revez, Carla Castanheira, Luís Proença e Marisela Terra
Figurinos e Adereços Catarina Lopes e Rita Horta
Modelista Dino Lima
Música Paulo Ribeiro
Desenho de Luz Ivan Castro




 

Uma Produção Lendias d'Encantar, 2008
Imprensa

Madalena, Açores